imprensa

 

Giuseppe Benedetto Cottolengo nasceu em Bra em 3 de maio de 1786. Filho de um comerciante de tecidos originário de Barcellonette, cidade francesa no departamento dos Alpes de Haute Provence. O primeiro de doze filhos, seis dos quais morreram cedo, ele aprendeu os princípios da vida cristã com sua mãe. Sua adolescência foi condicionada pelos acontecimentos ligados à Revolução Francesa e às invasões de Napoleão I, tanto que grande parte de seus estudos sacerdotais ocorreram na clandestinidade.

Giuseppe Cottolengo foi ordenado sacerdote 8 junho 1811 na capela do seminário em Turim e nomeou seu deputado para Corneliano d'Alba. Ele retomou seus estudos teológicos até chegar ao grau com elogios e elogiar o 14 May 1816. Em 1818, ele foi chamado para a congregação canônica de Corpus Christi.

 

Com o tempo, uma profunda insatisfação emergiu em Cottolengo e a meditação sobre a biografia de São Vicente de Paulo o conduziu a um amadurecimento de sua dimensão humana e espiritual. Sua intuição teve origem em 2 de setembro de 1827, quando foi chamado ao lado do leito de uma mulher no sexto mês de gravidez, com tuberculose e morrendo. Ela foi levada a vários hospitais, mas nenhum foi hospitalizado. Diante da morte repentina da jovem, Cottolengo sentiu a necessidade de criar um abrigo onde as necessidades de cuidados que não poderiam ser atendidas em outro lugar pudessem ser acolhidas e satisfeitas.

Com a ajuda de algumas mulheres, em 17 de janeiro de 1828, foi inaugurado no centro de Torino o Depósito dos Pobres Enfermos de Corpus Domini. Após três anos, devido a temores de uma epidemia de cólera, o governo ordenou que fechasse o hospital. Mudou-se para Borgo Dora, onde em 27 de abril de 1832 fundou aquela grande realidade que ainda hoje existe: a Casinha da Divina Providência, mais conhecida pelo nome de seu fundador: Cottolengo. Ele também deu à luz algumas famílias religiosas: o Instituto religioso das Irmãs, os Irmãos e a Sociedade dos Sacerdotes em sua homenagem.

Ele morreu em 30 de abril de 1842 em Chieri, na província de Torino. Após o reconhecimento do caráter heróico de suas virtudes, o Papa Bento XV reconhece o heroísmo de Giuseppe Benedetto Cottolengo e o declara beato em 29 de abril de 1917. Ele foi proclamado santo pelo Papa Pio XI em 19 de março de 1934.