IoAiutoBra 1 livrar

As questões econômicas dominaram a reunião do conselho municipal de Bra, realizada na quinta-feira, 26 de setembro de 2019. A assembléia máxima da cidade foi chamada para examinar vários documentos, começando com a oitava variação do orçamento para 2019-2021, que foi ratificado quase por unanimidade (a única abstenção foi a de Davide Tripodi, líder do grupo de Bra Domani).

Um elemento chave da mudança, adotada no final de agosto pelo governo como uma emergência, o investimento de aproximadamente 325 mil euros para a requalificação energética da escola Bandito em homenagem a Eugenio Jona. Uma quantia que, conforme explicado pelo prefeito Gianni Fogliato, titular da delegação ao orçamento, será coberta por uma contribuição de 140 mil euros pelo Gerente de Serviços de Energia (GSE), por uma quantia semelhante disponibilizada pela administração municipal e derivado do excedente de 2018 e uma contribuição de 40 mil euros da Fundação Crc. Em termos de despesas, ainda é registrada a utilização de outros 18 mil euros provenientes do superávit da administração no ano passado para trabalhos no jardim de infância "Gina Lagorio".


Posições diferentes, por outro lado, durante a discussão do Documento Único de Programação (DUP) para o período de três anos 2020/2022. "Um texto fundamental", definiu o primeiro cidadão ", porque indica os objetivos perseguidos pela Administração e as formas de alcançá-los. Um texto que preparamos, que acredito ser coerente e eficaz, adequado aos recursos que temos e sustentáveis ​​ao longo do tempo ".


A minoria de centro-direita de opinião diferente - justificou-se a ausência do diretor Sergio Panero (Together for Panero-Civic Group) - que criticou vários aspectos do documento, começando com o projeto de construção de um novo complexo escolar na área do antigo pátio de carga da via Trento Trieste. "Uma escolha contra a qual lutaremos", prometeu Annalisa Genta (Coragem, Nós mudamos), que sublinhou a necessidade de resolver alguns desserviços relacionados à coleta seletiva, em particular ao plástico. O vereador Tripodi, para quem seria necessário "criar novos lugares de estacionamento no centro da cidade", apontou o dedo para a oportunidade de iniciar uma política mais favorável para as empresas. Por fim, Giuliana Mossino (Lega) enfatizou a necessidade de fazer mais pelo turismo: "4 dias a cada dois anos não são suficientes para fazer de Bra uma cidade de referência no turismo de alimentos e vinhos".


Em vez disso, a vereadora Bruna Sibille (PD) defendeu o documento programático à espada, para quem a escolha de construir um novo complexo escolar na via Trento Trieste “permitirá adquirir uma área perto do centro a um preço muito vantajoso. , além de impedir a RFI de construir novos edifícios na área ". La Sibille, em seguida, reivindicou os grandes resultados obtidos nos últimos anos na frente da promoção do turismo.


A diretora Marta Basso (PD) apontou que as atividades agrícolas que operam na área da cidade estão em expansão, resultado também atribuído às "políticas de promoção de nossos produtos típicos lançados pelo Município". Por fim, Raimondo Testa destacou os resultados recordes alcançados pela coleta seletiva, que após os excelentes 70% registrados em 2018 neste ano, após a introdução da sacola compatível, alcançou 90%: "Há coisas a refinar , mas os resultados são emocionantes ".
No final, o Dup foi aprovado com 10 votos a favor e 5 contra.

Mais autonomia para o Piemonte

Durante a reunião, o Conselho aprovou por unanimidade uma moção que apóia o processo iniciado pela Região do Piemonte para obter outras formas de autonomia, de acordo com o artigo 116 da Constituição. Originalmente, a moção havia sido apresentada pelo grupo Lega, mas durante uma reunião dos líderes do grupo, um texto compartilhado foi alcançado. No documento, depois de ter apoiado a oportunidade de o Piemonte obter novas habilidades e os recursos relativos, porém a partir do reconhecimento do papel desempenhado pelos Municípios, Províncias e Cidades Metropolitanas, destaca-se, no entanto, a necessidade de preservar os princípios de solidariedade e subsidiariedade nacionais. . "Maior autonomia regional não deve ser entendida como uma ferramenta para criar uma Itália de duas velocidades".

consultas

Na abertura da sessão, a Assembléia discutiu algumas questões apresentadas pela minoria a respeito dos estacionamentos reservados ao Corpo de Bombeiros na via Grappa, a situação do complexo escolar na via Barbacana, o estado de degradação que afeta a passagem subterrânea de pedestres da estação Bra, à ciclovia de Pollenzo e, finalmente, à necessidade de intervir na área de mercado da Piazza Giolitti. Precisamente a esse respeito, o Conselheiro de Obras Públicas Luciano Messa confirmou a intenção do governo de intervir para recuperar a cobertura metálica do mercado: "Avaliaremos como recuperar os fundos necessários, talvez participando de chamadas específicas".


O vídeo da sessão está visível no site institucional www.comune.bra.cn.it e no canal do YouTube @comunebra. (Rb)


Info: Cidade do Bra - Secretaria-Geral
tel. 0172.438317 - segreteria@comune.bra.cn.it

Destaques