IoAiutoBra 1 livrar
A primeira vez que ele foi parado em meados de outubro, quando uma patrulha da polícia municipal de Bra viu um Peugeot 205 vermelho circular com placas estranhas. Depois de uma curta perseguição, o carro foi parado e foi revelado que o motorista, TR, cinqüenta anos de idade braidese, estava sem licença porque nunca conseguiu. Depois de algumas verificações, surgiu então que o carro não tinha seguro e as placas eram falsas, feitas pelo mesmo RT para contornar os controles. Então os agentes tomaram o carro, fazendo a apreensão judicial das placas. À custa da RT, ele apresentou uma queixa ao Procurador da República de Alba por dirigir sem licença (de relevância criminal após as recentes alterações regulamentares) e por falsificação e uso de matrículas falsas. Conforme exigido pelo Código da Estrada, o carro equipado com selos foi confiado ao mesmo motorista. As investigações dos agentes de Braida trouxeram à luz o fato de que o 205 ainda é propriedade de um jovem de Trinta anos de idade, que tinham a intenção de demoli-lo, venderam-no a um reparador de automóveis de Carmagnola que, independentemente da intenção, entregara o carro aos Braidese. Mesmo essas pessoas se meteram em problemas, o primeiro por não entregar o carro a um disjuntor, conforme exigido por lei, o segundo por vender e descuidadamente confiou o carro à RT Este último, apesar do veículo foi apreendido, retirou os selos para continuar a usá-lo, novamente aplicando placas falsas até que, a patrulha de emergência da polícia municipal Braida, nos últimos dias à primeira luz do amanhecer, tenha parado novamente no povoado de Cà del Bosco enquanto ele ia no trabalho. Nova apreensão administrativa e nova apreensão judicial das placas e, consequentemente, uma nova queixa ao Ministério Público de Alba por condução sem licença, falsificação e uso de placas falsas, remoção de selos e violação das obrigações de custódia. (Polícia Municipal de Sutiã)