Um pouco mais de quatro horas durou em Bra a sessão do conselho da cidade, convocada por seu presidente Gian Massimo Vuerich para o final da tarde de ontem, terça-feira 17, fevereiro 2009. Na abertura, o prefeito Camillo Scimone tomou o chão, testemunhando a proximidade da administração cívica com a família envolvida em um assalto dramático na villa, ocorreu nos últimos dias na aldeia Bandito, além de lembrar a necessidade de uma colaboração constante entre cidadãos e instituições para garantir a segurança. O conselho aprovou algumas resoluções relevantes relativas ao planejamento urbano. Entre estes, a aprovação do documento técnico preliminar ao novo plano regulatório, que introduz a avaliação dos impactos ambientais das decisões que serão tomadas com a nova ferramenta de programação. Além disso, o projeto preliminar do plano para os locais de produção da Corso Monviso foi definitivamente aprovado, além do regulamento para a emissão de autorizações para o estabelecimento de estruturas de venda de tamanho médio e a aprovação do plano de área para a área de salvaguarda da bosques e fortalezas de Roero. O município então se juntou ao acordo assinado entre o INPS e a cidade de Turim para antecipar parte do tratamento devido a trabalhadores da Piedmontese em demissões, além de se juntar, como membro fundador, à associação sem fins lucrativos "Brain - Bra internet ", para a divulgação e o conhecimento das tecnologias TIC através de redes sem fio gratuitas. A moção, apresentada por grupos minoritários, em apoio à recente lei regional para a regulamentação do horário de funcionamento das lojas não é aprovada. (Rg)